domingo, 6 de abril de 2014

As Cinquenta Sombras de Desilusão

 
 


Por estar muito bem estruturado foi-me recomendado ler as Cinquenta Sombras de Gray, por isso, no mês passado fui alegremente comprar o livro. Depois de ter lido vinte e cinco páginas já me queria suicidar. No entanto fiz um esforço, tentei pensar em como a vida é bela e maravilhosa e prossegui a leitura por mais algumas páginas. Não tardou para perceber que nem mesmo o doce da vida me iria livrar do suicídio. Antes que a depressão tomasse conta de mim abandonei o livro num canto da enorme estante, que tenho no meu atelier.

Depois de ler escritores como Marcel Proust, Camus, Sartre e por aí adiante tive uma enorme dificuldade em me afeiçoar à escrita de E.J. James. Em termos de escrita, além de não ser nada de especial é bastante coloquial, logo, passando para uma linguagem mais vulgar; não me aqueceu nem arrefeceu. Quanto as partes eróticas volto a dizer; não me aqueceram nem arrefeceram.

Contudo, tenho um enorme problema. Não consigo facilmente desistir dum livro, ainda não descobri se é por mera burrice ou algo mais. Tarde ou cedo, infelizmente, vou ter de o acabar. Deves estar-te a perguntar se acho-me um génio de escritora. Digo-te, de modo algum. Sou uma mera principiante ainda com um longo caminho por trilhar nestas andanças da escrita, porém sou uma óptima leitora e sei muito bem distinguir uma grande obra. Portanto, este livro é tudo, menos uma grande obra.Com efeito, deixa-me dizer-te, quando acabar de ler se porventura mudar de opinião, de modo algum vou-me coibir de vir cá reescrever este post e falar bem do livro.

Em última instância, considero a aquisição deste livro o meu pior investimento de 2014,isto é, em termos literários.



Katya Figueiredo
 






 
 


Sem comentários:

Enviar um comentário